5 feridas emocionais da infância que persistem quando somos adultos

5 feridas emocionais de

Os problemas que vivemos na infância eles predizem como será a qualidade de nossa vida adulta. Eles também podem afetar a maneira como nossos filhos agirão amanhã e como enfrentaremos as adversidades.

De alguma forma, a partir dessas feridas emocionais ou experiências dolorosas da infância, vamos moldar uma parte de nossa personalidade. Vamos ver abaixo quais são as feridas emocionais de cinco segundos Lisa Bourbeau

1- O medo do abandono

A solidão é o pior inimigo de quem experimentou o abandono na infância. Haverá uma atenção constante à deficiência, o que levará aqueles que dela sofreram a abandonar o parceiro ou os seus projetos ainda cedo, por medo de serem os abandonados. É uma espécie de 'Vou te deixar antes que você me deixe', 'ninguém me apóia, eu não agüento tudo isso', 'se você for embora, não volte mais' ...



Pessoas que experimentaram o abandono na infância terão que trabalhar em seu medo de solidão, no medo de ser rejeitado e nas barreiras invisíveis do contato físico.

As feridas causadas pelo abandono não são fáceis de curar. Você mesmo ficará ciente de quando as feridas começarão a cicatrizar e quando o medo dos momentos de solidão desaparecerá e será substituído por um diálogo interior positivo e cheio de esperança.

2- O medo da rejeição

Por ser uma ferida muito profunda, implica rejeição interior. Com interior nos referimos ao que experimentamos, aos nossos pensamentos e sentimentos.

Quando aparece, pode afetar vários fatores, como rejeição dos pais, da família ou de si mesmo. Gera sentimentos de rejeição, pensamentos negativos, como não ser desejado e leva à autodepreciação.

A pessoa que sofre dessa dolorosa experiência sente que não merece o carinho ou a compreensão de ninguém e se isola em seu vazio interior por medo de ser rejeitada. É provável que, se você sofreu desses problemas na infância, sejam pessoas 'esquivas'. Por isso, é fundamental trabalhar o próprio medo, os medos interiores e as situações que geram pânico.

ataques de pánico antes de acostarse

Se for este o seu caso, pense por si mesmo, corra riscos e tome decisões por si mesmo. Você ficará cada vez menos incomodado com o fato de que as pessoas estão se afastando e não levará isso para o lado pessoal se, às vezes, elas se esquecerem de você.

3- A humilhação

Essa ferida é gerada quando em diferentes momentos sentimos que os outros desaprovam o que fazemos e nos criticam. Você também pode gerar esse problema em seus filhos, dizendo-lhes que eles são rudes, pesados ​​e mesquinhos, bem como expondo seus problemas na frente dos outros: isso destrói auto estima infantil.

Dessa forma, o tipo de personalidade frequentemente gerado é uma personalidade dependente. Você pode ter assumido uma atitude 'tirânica' e egoísta como mecanismo de defesa e pode vir a humilhar os outros como um escudo para se proteger.

Se você teve essas experiências, você precisará trabalhar em sua independência, sua liberdade, entendendo suas necessidades e medos, bem como suas prioridades.

4- Traição e o medo de confiar

Esses sentimentos surgem quando uma criança se sente traída, especialmente por um de seus pais, que não cumpriu suas promessas. Isso faz com que a desconfiança que acompanha esse problema se transforme em inveja e outros sentimentos negativos, como o sentimento de não merecer as coisas prometidas ou o que os outros têm.

Ter sofrido esses problemas na infância cria pessoas desconfiadas que sempre querem manter tudo fechado. Se você já passou por uma situação semelhante durante a infância, é provável que sinta a necessidade de exercer algum controle sobre os outros, o que geralmente é justificado por um caráter forte.

Essas pessoas confirmam seus erros pela maneira como agem. Precisam trabalhar a paciência, a tolerância e o saber viver, bem como aprender a ficar só e a confiar responsabilidades.

5- Injustiça

Ela se origina em contextos onde as pessoas que cuidam de crianças são frias e autoritárias. Na infância, necessidades exageradas que vão além dos limites geram sentimentos de ineficiência e inutilidade, tanto na infância quanto na idade adulta.

A consequência direta na conduta de quem tem sofrido será a rigidez, pois essas pessoas vão tentar ser muito importantes e adquirir muito poder. Também é provável que tenha sido criado um fanatismo por ordem e perfeccionismo, bem como pela incapacidade de ter certeza sobre as decisões que serão tomadas.

Você tem que trabalhar a desconfiança e a rigidez mental, tentando ser o mais flexível possível e tentando acreditar nos outros.

Agora que você conhece cinco feridas da alma que pode afetar seu bem-estar, sua saúde e sua capacidade de se desenvolver como pessoa, você pode começar a curá-los.

Imagem cortesia de natalia_maroz y jrcasas

Fonte da ideia: Bourbeau, L. (2003) As 5 feridas que o impedem de ser você mesmo, OB Stare.