Amor crepuscular: amores maduros na hora certa

Amor crepuscular: amores maduros na hora certa

Você já pensou sobre o amor crepuscular? Gostaríamos de mostrar o que é e porque é tão bonito e fascinante. O amor crepuscular pressupõe um afeto que chega no momento exato , aquele em que você será capaz de valorizá-lo melhor do que poderia ter feito no passado. Na verdade, não é incomum ter experimentado no passado a sensação de que o amor pode ter chegado muito cedo.

O amor raramente avisa quando chega, não tem campainha, não há convites e não anda por aí acompanhado por um tribunal que permite ser avistado à distância. Como aceitamos e vivemos depende de nós. No entanto, há momentos em que ele parece ter sido capaz de escolher a ocasião perfeita para fazer um ato de presença. O amor crepuscular é assim.



O que é amor crepuscular?

Um ditado popular diz 'existem amores que matam', mas o amor crepuscular está exatamente no extremo. Em vez disso, refere-se a esse sentimento pacífico de afeto e compreensão que chega justamente no momento em que ele deve fazer um ato de presença . É um resumo de experiências nas quais está encerrada a sabedoria que vem de saber o que não queremos e o que nosso coração anseia.



Menino-que-coloca-uma-flor-no-cabelo-da-companheira

Quando nosso coração está dolorido de paixão e queimado pelo sofrimento de eventos passados, chega um momento em que ele precisa de calma e descanso. É neste momento que se cria a oportunidade ideal para que o amor crepuscular preencha sua alma de prazer. O amor crepuscular é um amor calmo e pacífico . Um sentimento de união entre duas pessoas que nada tem a ver com a veemência, pressa e exageros de relacionamentos anteriores.

O amor crepuscular alimenta-se de experiências vividas . Chega um momento em que sabemos exatamente o que queremos. De repente, sabemos do que não gostamos, porque valorizamos as experiências que nos fizeram sofrer e nos sentir bem. Daqui surge um conhecimento profundo de nós próprios e dos nossos sentimentos que, junto com a pessoa certa, é o nascimento de uma bela e pacífica paixão.



Os amores de hoje e para sempre

Todo mundo sabe disso, ao longo dos anos, os seres humanos experimentam uma enorme quantidade de emoções e sentimentos relacionados ao amor . Desde a infância, começamos a sentir um coração forte e palpitante que precisa de emoções intensas.

Já em plena juventude, especialmente durante a adolescência, uma paixão desperta em nossos corações desenfreado o que nos faz experimentar intensamente cada emoção da alma, a ponto de também nos fazer sofrer por não estarmos com o ente querido. Um primeiro amor que é puro fogo desenfreado, um ardor sem limites.

'Se a paixão e a loucura não levassem às vezes as almas ... Qual seria o valor da vida?'



salir del cuerpo mientras duerme

-Jacinto Benavente-

Subseqüentemente chegam outros relatórios, que combinam experiência com descoberta . Amores juvenis que certamente possuem parte do que foi vivido anteriormente, mas que ainda não podem ser considerados crepusculares, pois mantêm uma certa imaturidade adolescente e um constante empurrão e puxão, embora sejam os alicerces da personalidade.

Finalmente, depois de um longo processo de dor, sofrimento, prazer e diálogo, o momento de amor crepuscular . Os corações passam por tantos relacionamentos que precisam do merecido descanso do guerreiro e sabem como obtê-lo: conhecem-se bem, acumulam grande experiência e sabem muito sobre suas almas gêmeas.

Amor crepuscular no cinema

O cinema tem feito um bom show de amor crepuscular . Histórias inesquecíveis, que permaneceram gravadas no imaginário coletivo. Quem não ficou animado em seguir a maravilhosa aventura de Katharine Hepburn e Henry Fonda em 'On the Golden Lake'?

No entanto, se falamos sobre emoções profundas e amor à beira do crepúsculo, não podemos deixar de fora a história absorvente entre Clint Eastwood e Meryl Streep em ' As Pontes do Distrito de Madison ' Uma paixão no crepúsculo da vida de duas pessoas que descobrem que ainda têm um coração batendo no peito.

Poderíamos continuar assim, com muitos exemplos verdadeiramente nostálgicos. Bill Murray que encontra paixão em ' Lost in Translation ', Shirley MacLaine que vive junto com o velho astronauta Jack Nicholson em' Ansiando por Ternura ' ou Sean Connery e Audrey Hepburn em “Robin e Marian”.

A beleza do amor crepuscular

Perfil de um casal ao pôr do sol

Quando o amor do crepúsculo chegar, você deixará de ser escravo de suas paixões . Então, tudo parecerá mais simples. A separação da pessoa amada na juventude parece arrancar a alma; entretanto, com a sabedoria e paciência trazidas pela experiência, você será capaz de superar uma história de amor muito melhor.

'Todas as paixões são positivas enquanto alguém as domina, e todas são malévolas quando alguém se torna seu escravo'

-Jean-Jacques Rousseau-

salir del cuerpo mientras duerme

Todas as experiências vividas, dolorosas ou não, irão ajudá-lo a aprender a valorizar a pessoa ao seu lado . Ao mesmo tempo, você encontrará a compreensão de que necessita em seu relacionamento a dois e para ambos criará uma união maravilhosa, com comunicação esplêndida e incomparável.

No entanto, não se esqueça que o amor crepuscular é mútuo. Se você realmente não quiser ou se não estiver pronto, não virá . Não aparecerá se vocês não conseguirem se entender e entender um ao outro com seu parceiro. Experiência e calma são suas virtudes curativas para o coração, mas não deixa de ser uma questão de dois.

O amor nunca é um desperdício, mesmo quando não é correspondido

O amor nunca é um desperdício, mesmo quando não é correspondido

O amor nunca é um desperdício. Primeiro você tem que amar a si mesmo, depois aos outros